• Dr Thiago Bandeca

Rivaroxabana reduz eventos cardiovasculares em pacientes com aterosclerose com e sem diabetes

O papel da combinação de terapia antiplaquetária, anticoagulação na diabetes e doenças cardiovasculares teve um sub-estudo divulgado recentemente pelo COMPASS, durante uma sessão de Pesquisa Clínica; foi publicado em destaque simultaneamente na Circulation e no ACC.20 / WCC. O estudo mostrou que a combinação de rivaroxabana (Xarelto) mais aspirina pode proporcionar um benefício semelhante na redução de eventos cardiovasculares em pacientes com aterosclerose estável com e sem diabetes.


Pacientes com doença arterial coronariana (DAC) estabelecida ou doença arterial periférica (DAP) geralmente apresentam diabetes mellitus, esses pacientes têm alto risco de eventos vasculares futuros.

O estudo comparou os efeitos de rivaroxabana (2,5 mg duas vezes ao dia) mais aspirina 100 mg vs. placebo mais aspirina 100 mg em eventos cardiovasculares em pacientes com e sem diabetes e doença arterial coronariana ou periférica estável nesta análise pré-especificada. O estudo COMPASS geral incluiu 10.341 pacientes com diabetes e 17.054 sem diabetes. Um total de 9.152 pacientes foram aleatoriamente designados para tomar rivaroxabana mais aspirina e 9.126 pacientes tomaram um placebo mais aspirina. O sub-estudo consistiu em 6.922 pacientes com diabetes na linha de base e 11.356 sem diabetes na linha de base. 


O objetivo primário de eficácia - um composto de morte cardiovascular, infarto do miocárdio ou AVC - ocorreu em 8,4% dos pacientes com diabetes em uso de rivaboxabana vs. 10,7% no grupo placebo (razão de risco [HR], 0,74; intervalo de confiança de 95% [IC] 0,61-0,90; p = 0,002). Entre os pacientes sem diabetes, 5,8% no grupo rivaroxabana experimentaram um evento final primário vs. 7,2% no grupo placebo (HR, 0,77; IC 95%, 0,64-0,93; p = 0,005). Os pesquisadores observaram uma redução consistente e semelhante do risco relativo associado a rivaroxabana mais aspirina para pacientes com e sem diabetes. Devido ao maior risco inicial, a redução absoluta do risco parecia maior em pacientes com diabetes vs. sem diabetes, mas ambos os subgrupos obtiveram benefícios semelhantes (2,3% vs. 1,4% para o endpoint primário em três anos). O objetivo primário de segurança foi uma modificação dos critérios da Sociedade Internacional de Trombose e Hemostasia (ISTH) para sangramento grave. Para pacientes com diabetes, o sangramento maior aumentou de 3,4% para 4,5% em três anos (HR, 1,69; IC 95%, 1,33-2,15; p = 0,0006) vs. 3,2% a 4,4% para aqueles sem diabetes (HR, 1,69; IC 95%, 1,33-2,15; p <0,0001). No entanto, não houve aumento no sangramento fatal ou intracraniano. Os pesquisadores concluíram que uma dose baixa de rivaroxabana mais aspirina foi associada a uma redução nos principais eventos cardiovasculares em pacientes com aterosclerose estável, com e sem diabetes. Eles observam que o benefício clínico líquido para resultados irreversíveis apareceu numericamente mais generoso em pacientes com diabetes.


Perspectiva Clínica O que há de novo? • Em uma análise pré-especificada, o COMPASS Diabetes comparou rivaroxabana em baixa dose (2,5 mg duas vezes ao dia) mais aspirina versus placebo mais aspirina em 10.341 pacientes com doença arterial coronariana ou periférica estável e diabetes. • Embora tenha havido uma redução de risco relativo consistente e semelhante com rivaroxabana mais aspirina versus placebo mais aspirina, em pacientes com e sem diabetes para o endpoint de eficácia primário e também mortalidade por todas as causas, principalmente, as reduções de risco absolutas pareceram maiores em pacientes com diabetes, incluindo uma redução 3 vezes maior na mortalidade. •  O estudo sugere haver um benefício clínico geral absoluto maior naqueles com diabetes.

Quais são as implicações clínicas? • Em pacientes com aterosclerose e diabetes estáveis, sem indicação de terapia antiplaquetária dupla, como stent recente ou síndromes coronárias agudas recentes, a adição de rivaroxabana em dose baixa à aspirina fornece reduções substanciais nos eventos isquêmicos, incluindo uma redução significativa na mortalidade por todas as causas, com reduções de risco absolutas que parecem maiores naqueles com diabetes versus sem. • O sangramento grave não fatal aumentou de forma semelhante naqueles com versus sem diabetes. • Em pacientes com risco de sangramento aceitável, a adição de rivaroxabana em dose baixa à aspirina deve ser considerado no regime de prevenção secundária de pacientes com aterosclerose e diabetes.




Artigo: The Role of Combination Antiplatelet and Anticoagulation Therapy in Diabetes and Cardiovascular Disease: Insights from the COMPASS Trial

Key Words: Anticoagulant, antiplatelet, coronary artery disease, diabetes mellitus, peripheral artery disease, ACC Annual Scientific Session, acc20, Aspirin, Myocardial Infarction, Stroke, Hemorrhage, Diabetes Mellitus, Acute Coronary Syndrome, Heart Failure, Metabolic Syndrome X, Xarelto. Palavras-chave: Anticoagulante, antiplaquetário, doença arterial coronariana, diabetes mellitus, doença arterial periférica, Sessão Científica Anual do ACC, acc20, aspirina, infarto do miocárdio, acidente vascular cerebral, hemorragia, diabetes mellitus, síndrome coronariana aguda, insuficiência cardíaca, síndrome metabólica X, Xarelto.

Nonstandard Abbreviations and Acronyms CAD = coronary artery disease CABG = coronary artery bypass grafting CI = confidence intervals COMPASS = Cardiovascular Outcomes for People Using Anticoagulation Strategies DAPT = dual antiplatelet therapy ISTH = International Society on Thrombosis and Haemostasis MI = myocardial infarction NNT = number needed to treat PAD = peripheral artery disease PCI = percutaneous coronary intervention

Abreviações e acrônimos fora do padrão DAC = doença arterial coronariana CRM = revascularização do miocárdio IC = intervalos de confiança COMPASS = Resultados cardiovasculares para pessoas que usam estratégias de anticoagulação DAPT = terapia antiplaquetária dupla ISTH = Sociedade Internacional de Trombose e Hemostasia MI = infarto do miocárdio NNT = número necessário para tratar DAP = doença arterial periférica ICP = intervenção coronária percutânea


5 visualizações

Siga

Consultório Dr Thiago Bandeca

Uniq Vergueiro - Av. Senador César Vergueiro, 480, sala 31, Ribeirão Preto - SP, CEP 14020-500 Brasil

©2020 Bandeca Serviços Médicos by Evelyn