©2020 by Bandeca Serviços Médicos

Siga

Dormir menos de 6 horas de sono pode ser mortal para pacientes cardíacos

October 7, 2019

Dormir menos de seis horas por noite pode aumentar significativamente o risco de câncer ou morte precoce de uma pessoa, se ela for de meia-idade e tiver pressão alta, diabetes tipo 2, doença cardíaca ou histórico de derrame, de acordo com trabalho publicado no Journal of American Heart Association.

 

Julio Fernandez-Mendoza, PhD, professor associado da Faculdade de Medicina da Pensilvânia e psicólogo do sono no Centro de Tratamento de Sono e Pesquisa do Centro Médico Milton S. Hershey, da Penn State Health, e colegas estudaram mais de 1.600 adultos de 20 a 74 anos em um esforço para esclarecer a relação entre a duração do sono e a saúde do coração. Os pacientes foram retirados da coorte de adultos da Penn State e categorizados em grupos com base em seus diagnósticos: pressão alta no estágio 2 ou diabetes tipo 2 e doenças cardíacas ou derrame.

 

Os pacientes foram estudados no laboratório do sono da Penn State por uma noite entre 1991 e 1998, com acompanhamento até 2016. Durante esse período, Fernandez-Mendoza e co-autores relataram 512 pessoas morreram - um terço por doença cardíaca ou derrame e um quarto por câncer.

 

Os participantes com pressão alta ou diabetes que dormiam menos de seis horas por noite viram duas vezes mais chances de morrer de DCV ou derrame; aqueles com doença cardíaca ou derrame que dormiam menos de seis horas tinham três vezes mais risco de morrer de câncer.

 

"Nosso estudo sugere que alcançar o sono normal pode ser protetor para algumas pessoas com essas condições e riscos à saúde", disse Fernandez-Mendoza em um comunicado. "No entanto, mais pesquisas são necessárias para examinar se a melhoria e o aumento do sono por meio de terapias médicas ou comportamentais podem reduzir o risco de morte precoce".

 

Embora as pessoas com pressão alta ou diabetes tenham duas vezes mais chances de morrer de DCV, isso não é necessariamente um destino que eles precisam aceitar uma vez que o estudo detectou que se os mesmos pacientes dormiram por mais de seis horas, seu risco aumentado de DCV é insignificante.

 

Fernandez-Mendoza disse que o estudo de sua equipe é limitado, pois seus dados se baseiam no sono de uma noite em laboratório e podem ser tendenciosos, pois os pacientes costumam dormir mal a primeira noite em um novo ambiente.

 

"A curta duração do sono deve ser incluída como um fator de risco útil para prever os resultados a longo prazo de pessoas com essas condições de saúde e como alvo de práticas clínicas primárias e especializadas", disse ele. "Gostaria de ver mudanças nas políticas para que as consultas e os estudos sobre sono se tornem parte mais integrante de nossos sistemas de saúde. Uma melhor identificação de pessoas com problemas específicos de sono poderia levar a uma melhor prevenção e abordagens mais completas de tratamento, melhores resultados a longo prazo e menos uso de serviços de saúde. ”

 

 

Fonte:

 

Interplay of Objective Sleep Duration and Cardiovascular and Cerebrovascular Diseases on Cause‐Specific Mortality

 

Please reload

Our Recent Posts

Please reload

Archive

Please reload

Tags

This site was designed with the
.com
website builder. Create your website today.
Start Now